Re-identificando — haikai no renga e tanka

O termo Haikai/haiku é algo bem conhecido por poetas em todo do mundo, entretanto, será que todos eles entenderam seu significado? Bem, é um tipo de poesia japonesa, mas é o único tipo de poesia japonesa? A forma fixa é aquela definida por Guilherme de Almeida e seu modernismo passadista? É terceto, é 5-7-5, mas e aí?

Vou tentar explicar… Haikai vem de haikai no renga, que pode ser traduzido por renga comico. O renga, ou kusari no renga, primeiramente, é um tipo de poesia feito em conjunto na idade antiga japonesa, era principalmente feita em dupla, se seguisse a forma de tanka, ou em grupos, caso seguisse a forma de choka. O renga era, portanto, uma poesia em conjunto de moldes fixos – 31 sílabas poéticas em sua maioria.

Como sucessor do kusari no renga1, aparece o haikai no renga, fugindo do velho público aristocrata que até então monopolizava o renga. Haikai no renga era cômico, mas não no sentido satírico, nem mesmo com a função de divertir, é classificado cômico por utilizar figuras de linguagem, brincadeira com as palavras e neologismos ou palavras chinesas não admitidos no renga tradicional, além de adotar um tom coloquial em sua maioria. 

Teve como linha de seu desenvolvimento três principais escolas:

  • Teimon: Escola fundada por まつながていとく visava inserir um <<gracejo>> ao renga comum, utilizando-se de recursos como o engo, kakekotoba, mas ainda sendo extremosamente formal, pois admirava o velho renga.
  • Danrin: Escola fundada por にしやまそいん (Nishiyama Soin), essa escola defendia a linguagem vulgar/comum, defendia assuntos do dia-a-dia, o humor e visava fugir da seriedade da poesia japonesa. Também pregava o experimentalismo, que após algum tempo, levou ao seu fracasso.
  • Shomon: Escola fundada por まつおばしょ, sucessora das duas escolas anteriores e criadora do haikai como um , o haikai-dô, além da canonificação das bases do haikai.

A linha cronológica pode ser classificada então por:

waka → kusari no renga → Haikai no renga → Haiku

Mas falta ainda explicar o que é haiku… Na poesia antiga japonesa, não ocidental, não havia um pensamento que designasse a forma de um poema, não estruturavam os poemas em versos, mas sim em uma linha reta, vertical ou horizontal. As indicações de que os<<versos>> possuíam uma forma fixa pré-existente foram descobertas posteriormente, devido à análise dos きれじ que indicavam suspensão da respiração/pensamento no poema. Com a análise dos haikai no renga e a identificação dos kireji foi definido que a poesia clássica japonesa seguia o ritmo 5-7-5 em sua grande maioria.

É aí que chega o haiku. No início do século XX, já Na Era Meiji, Masoka Shiki busca resgatar essa poesia do passado a fim de manter e preservar a tradição, que, com a intensa modernização de seu país, estava se perdendo. Shiki cria então o haiku. O haiku é uma aglutinação das palavras hokku com haikai, surgindo o haiku, que ouso chamar de hokku do haikai, visto que nada mais é do que isso. Shiki, ao instaurar essa forma fixa, que também seguia os preceitos canônicos da Shomon, pecou, a meu ver, em uma importante parte da tradição da poesia e cultura japonesa: a coletividade. Com o advento do haiku, essa poesia não era mais colaborativa, não fazia mais parte dos rengas, foi um movimento em direção à individualidade 

[Sessões de renga em grupo → Composição individual]

O haikai, haiku, ou haicai, definido pelo nosso queridíssimo dicionário Houaiss como uma poesia em terceto, é imensamente mais rico e interessante do que nos é apresentado, há um mundo à ser descoberto por debaixo da névoa do velho epíteto: País de Wa

Sirgamos…

Retomada do blog

Faz um tempo que não uso isso aqui. Estive passando por aventuras pessoais, novas obsessões por velhas obsessões: A poesia e literatura japonesa. Decidi que não faz muito mais sentido evitar a empolgação e me entregar numa suposta super-produção sobre o assunto que sou apaixonado. Venho dizer só que em breve estarei publicando textos sobre a poesia japonesa: waka, tankas, haicai, haiku, haikais, senryus, monogataris mais clássicos e movimentos literários mais contemporâneos.

Disse tudo, espero que estejam passando bem, desejo a vocês um beijo úmido.